É com grande alegria que hoje dou início a um dos meus melhores assuntos da vida, cinema. Para uma blogueira que fala muito sobre moda, me escondo muito tempo atrás das telonas do cinema. Eu amo cinema, a ponto de ter um cartão exclusivo reservado mensalmente com dinheiro para poder estar lá pagando metade toda semana.

O Escândalo

Para começar os trabalhos, hoje escolhi um filme que assisti no último final de semana, O Escândalo. Do momento em que eu assisti ao trailer ao ver as atrizes envolvidas na trama, já quis muito assistir. Ah, outro detalhe que também fez muita diferença é que o filme é baseado em uma história super real, um bafafa na verdade. Então, vamos a ele!

O Escândalo

O filme conta a história de 3 mulheres e 1 homem poderoso, de um lado, três jornalistas americanas (a super famosa Megyn Kelly , a carreira em decadência de Gretchen Carlson e a outra querendo subir na profissão Kayla Pospisil). Já do outro lado, o homem que poderia (ou não) ajuda-las a alcançar seus objetivos, ninguém mais ninguém menos que Roger Ailes, o chefe da FoxNews, canal mundialmente conhecido e influente.

O filme conta com nomes como John Lithgow (Roger Ailes), Charlize Theron (Megyn Kelly), Nicole Kidman (Gretchen Carlson) e Margot Robbie (Kayla Pospisil) e uma atuação maravilhosa desses grandes nomes. Ocorre que, o enredo deixou um pouco a desejar, pelo menos no meu ponto de vista.

Ainda achando que é um grande filme, a abordagem sobre o tema principal, que é o assédio sexual, é um tanto quanto superficial. As cenas de impacto não ocorrem, faltando aquele choque, acabando por ser um jogo de conflitos de interesse, onde cada um vê qual o melhor momento de dar sua cartada.

Na verdade, no meu ponto de vista, (spoiler a vista) a Kayla é quem mais sai prejudicada no filme, isso porque é nela que toda a tensão do filme cai. Sobre as demais denunciantes do abuso, as cenas são passadas de forma leves, onde até existe ou não uma dúvida sobre fazer ou não uma denuncia.

Para a personagem da Nicole Kidman, a que faz a denuncia inicial de assédio, não houveram cenas ou falas que pudessem chocar verdadeiramente o público. E por ela ter sido demitida da emissora, ficou com cara de vingança.

Já para a personagem de Megyn Kelly, a denuncia contou com um fato de dez anos atrás, de uma tentativa de beijo, onde a própria personagem tenta se convencer de que o magnata ainda poderia ser considerado um “bom homem” por ser envolvido em tantas atividades sociais e caridosas.

Enfim, é um filme que busca relatar o assédio de uma forma bem leve dentro da indústria televisiva, no meu ponto de vista, mas com atuações memoráveis.

No mais, o filme para mim tem um nota 8,7. Indico e não me arrependo de ter assistido, uma boa pedida.

Algum assistiu? Conta aqui o que achou, vamos debater.